Malta

Paraíso do Mediterrâneo

Os gregos chamavam-lhe a Ilha “Mel Doce”, possivelmente devido à produção exclusiva de mel. Os fenícios denominavam-na a Ilha do “Paraíso”. Apenas as três maiores ilhas da República de Malta são habitadas, tais como Malta, Gozo e Comino, as menores e restantes estão desabitadas. A sua paisagem é constituída por inúmeras baías ao longo da costa maltesa, baixas colinas com campos e rios pequenos de elevada pluviosidade, não havendo rios permanentes ou lagos no país. A cultura maltesa reflecte as influências variadas dos países que a governaram até 1964, particularmente de Itália e do Reino Unido. La Valleta, capital de Malta, em meados do século XVI foi dominada pelos cavaleiros cruzados de S. João, encontra-se totalmente amuralhada e abrange uma extensão de 56 ha. O Forte de São Telmo, na península de Sciberras, alberga o Museu da Guerra e servia para proteger a entrada dos portos de Marsamxett e o Grande Porto. É também de destacar o Palácio do Grande Mestre, com a sua sala de armaduras, actualmente palácio presencial, as várias igrejas e monumentos religiosos.

Programas

Informações

Para a sua viagem até à República de Malta apenas necessitará de bilhete de identidade ou cartão do cidadão. Não é necessário passaporte.
Os viajantes de outras nacionalidades deverão entrar em contacto com a embaixada e informar-se sobre as condições de entrada no país.

Veja também